Poder-se-ia traduzir para o português essa expressão como “Teoria do Domínio Midiático e Judicial das Ilações”.

Parece-nos, em princípio, que a questão teria resposta logo afirmativa.

Em linhas gerais, eis abaixo a listagem de algumas razões que talvez fossem também respostas.

A tradução literal de “fakes news” seria notícias falsas na mídia mas o falar ou escrever nesse dialeto universal fica menor e sofisticado, até mais importante, daí talvez o uso assimilado no nosso idioma, a língua portuguesa.

Se pensarmos um pouco ao dizer notícias falsas na mídia, vamos seguramente ser eruditos com o seu uso como ilações midiáticas.

Ora, “fazer uma ilação é estabelecer uma conclusão final baseada em alguns dados observados por suposições, é fazer uma dedução de algum fato sem estar diante de provas concretas, de fatos comprovados.”

Assim, ilação é uma dedução, uma inferência e seguramente uma indução ou mesmo uma suposição, uma forma de olhar e concluir sem provas...

Ou seja, aquelas notícias que vão à mídia sem comprovação e nós todos, pobres mortais escravos de novidades e cheios de tensões do dia-a-dia, nem as analisamos e já as tomamos como verdades, mesmo que prejudiquem terceiros e acabem com reputações...

E como estaria sendo criada e funcionando a “Teoria do Domínio Midiático e Judicial das Ilações” no campo da vida real e nos procedimentos judiciais???

Na vida real não se precisa de muito esforço para se deparar com ela.

Basta assistir às redes de televisão, ouvir rádios ou ler jornais e blogs - todos com graus opiniáticos diferentes e indutivos aos seus próprios conceitos de sociedade e defesas de interesses - vamos nos deparar com esse verdadeiro fenômeno dos tempos atuais, que se multiplica a uma velocidade instantânea de alcance global via internet...

Em procedimentos judiciais, mais das vezes antes deles, para quem não se impressiona com a sofisticação do juridiquês, é tão somente suficiente serem vistos os longos caminhos e muitas páginas de leitura acusatórias a cidadãos - que podem não ser culpados ou não fizeram aquilo que ali está - sempre escritos como verdades absolutas.

Pobre dos juízes no seu mister de encontrar o fio da verdade!!!

Dito isto, diversos fatos se tornam evidentes por conta dessa “Teoria do Domínio Midiático e Judicial das Ilações”:

Os cidadãos de bem - ou mesmos empresas - já estão sofrendo enormemente e tendo suas reputações abaladas, mais das vezes para sempre, além de grandes custos financeiros e de tempo necessário às suas defesas!

E existiriam formas de contraposição eficaz às ilações midiáticas e judiciais de todo gênero?

Sim, mas somente com soluções e respostas adequadas por fundamentos na verdade real e provas de valor absoluto, tudo acompanhado de muito trabalho e paciência intermitente.